A gestão empresarial é tarefa para poucos. Os desafios para o cumprimento de metas são diários e irrevogáveis. A saúde financeira de uma empresa depende disso e de um plano muito bem elaborado. Os tristes cenários vivenciados ultimamente pelos brasileiros trouxeram à discussão um assunto antigo, mas pouco aplicado no Brasil: o compliance.

Como atuar em conformidade com as regras e procedimentos? A resposta é simples: fortalecendo os controles internos da instituição, disseminando boas práticas da empresa e reduzindo significativamente os riscos e fraudes.

Para estruturar um programa de compliance em uma empresa, ele deverá ser instituído pela direção – alta gestão – e divulgado entre todos os funcionários, evidenciando os seus valores e implementando as boas práticas da companhia. A partir daí, o programa buscará:

• implementar normas de condutas;
• certificar o cumprimento e aderência dos colaboradores;
• promover políticas e controles internos da empresa;
• rever normas, procedimentos e regulamentos internos;
• evitar impactos financeiros – fraudes.

A estruturação de um programa não tem padrão definido e deve ser planejado de acordo com o DNA de cada companhia. Empresas que adotam programas de compliance têm boa reputação no mercado.

Por Mônica Pavan, CEO Agrhega Consultoria