Cultura Ágil: a melhora do desempenho

A Cultura Ágil se torna cada vez mais comum nas empresas, por dar mais liberdade e responsabilidade para todos os membros de um determinado projeto.

Esse modelo de gestão torna todos parte integrante do trabalho realizado, gerando a responsabilidade de cobrança do resultado almejado, sem hierarquia alguma. O processo propõe que as entregas sejam divididas por fases curtas para que eventuais problemas possam ser corrigidos e seus desdobramentos revistos. O foco prioritário está no cumprimento das fases e a finalização do processo.

Os métodos ágeis estão ajudando às equipes a encarar as imprevisibilidades dentro de um projeto por meio de entregas incrementais e ciclos iterativos. Quando a empresa opta por aderir ao modelo, os envolvidos precisam aprender as novas práticas, inclusive os líderes e gerentes, conferindo uma nova forma para as equipes se organizarem na hora de executar a atividade.

Valores da Cultura Ágil

• Celeridade dos processos;

• Transparência e confiança em todas as fases;

• Engajamento coletivo através do planejamento, alinhamento das restrições e definição dos limites e regras;

• Delegar responsabilidades e empoderar times;

• Capacidade de rápida adaptação através da inspeções das entregas durante as fases com a finalidade de detectar inconformidades que possam prejudicar o objetivo final;

• Interação entre todos os envolvidos.

As metodologias são sempre necessárias para o melhor desempenho das tarefas e, consequentemente, dos negócios em si. A Cultura Ágil é um gerenciamento de projetos com inspeção e adaptação frequente. Trata-se de um estimulador do trabalho em equipe e da comunicação, com foco no cliente e nos resultados. Ferramentas como Kanban e Scrum são bem utilizadas nos processos, que permitem dividir o projeto em ciclos e entre as pessoas, além de um controle detalhado de produção com informações e prazos. Tudo que é feito é revisto para estímulo da melhoria contínua.

por Mônica Pavan – CEO da Agrhega