Valuation: quando é necessário?

A gestão das empresas modernas vive uma revolução constante e requer informações pontuais a todo momento, pois fatalidades podem ocorrer. Administrar requer, entre outras expertises, de muitas ações. Para tanto, costumo dizer que dispor de relatórios gerenciais no dia a dia faz com que as tomadas de decisão ocorram de forma a mitigar erros e comparar dados do passado com os do presente, para se prever o futuro.

Insisto em dizer que alguns dados são verdadeiros navegadores para o gestor e devem estar sempre em mãos, fáceis de acessar: balanço patrimonial, balancetes, DRE, fluxo de caixa, entre outros. Esses dados nos levam a falar da avaliação empresarial. Atualmente, com a transformação de grande parte dos produtos e serviços em comodities, conceitos antigos devem ser descartados.

Portanto, a técnica de apuração via Valuation é atualmente a melhor estratégia a ser utilizada, pois está baseada em informações passadas (históricas), nas atuais e em projeções futuras, tornando-se possível assim definir o valor de uma empresa. Não se esqueça que todo esse processo deve abranger o Ativo Tangível além do Intangível. Agregar um estudo de mercado a toda a avaliação é uma ferramenta que não pode ser descartada.

O Valuation é muito importante em várias situações durante a vida de uma empresa: saída ou ingresso de um sócio (venda de cotas, ou mesmo falecimento); fusões; venda da empresa; e encerramento.

Por outro lado, quando se busca um investidor, ele gostará de saber: valor dos estoques; o total do patrimônio líquido; e, principalmente, a possibilidade de riqueza que a empresa pode gerar nos próximos anos.

Fique atento ao seu negócio. Ele pode valer mais do que você pensa.

Por Mônica Pavan